Durante o fim de semana alguns leitores entraram em contato, pois ontem foi o prazo para comprar passagens da Latam com a antiga franquia de bagagens, porém ao ligar no call center foi informado que para os EUA a franquia continuaria a mesma.

Entramos em contato com a empresa que se manifestou pela seguinte nota:

A franquia de bagagem da LATAM Airlines Brasil para voos dentro do Brasil e internacionais está disponível de acordo com o perfil de tarifa da passagem aérea adquirida. As informações sobre estas condições podem ser consultadas na página  https://www.latam.com/pt_br/informacao-para-sua-viagem/bagagem/bagagem-despachada/.  

Para trechos voados entre países da América do Sul e para voos de longa distância, os valores podem variar de acordo com a rota selecionada. Voos com origem e destino na Ásia e Europa, os valores variam entre US$ 55* para volumes adquiridos até 6h antes do voo e US$ 75* se adquiridos com menos de 6h de antecedência. Já os passageiros com origem e destino para os Estados Unidos devem pagar entre US$ 45* para volumes adquiridos até 6h antes do voo e US$ 90* se comprados com menos de 6h de antecedência.

Com relação à cobrança de bagagem para os Estados Unidos e Israel, a nova política é válida para bilhetes comprados a partir de 1º de julho para voos de/para Estados Unidos e a partir de 8 de julho para voos de/para Tel Aviv (Israel). Bilhetes emitidos antes da data de implementação, mesmo para serem voados após essas datas, terão suas políticas originais respeitadas.  

* Valores serão convertidos para Real e baseados na cotação do dólar do dia da compra.

A empresa ainda reforçou que vai averiguar com o seu call center para que as informações não sejam desencontradas, e que a cobrança de bagagens está sim mantida.

Agora vale destacar que todas as empresas que voam para os EUA ainda não cobram franquia de bagagem, com exceção da COPA e LATAM, logo você ainda tem várias opções como Avianca Internacional, GOL, American Airlines, United Airlines, e DELTA.

A questão que fica é: Será que as empresas americanas irão manter suas políticas de bagagem nos voos internacionais ou irão tirar proveito da resolução da ANAC para aumentar o seu faturamento? O que vocês acham?