Escrevo esse artigo com quase 1 mês de atraso. Isso porque a minha aprovação se deu no dia 13/05/2022 e queria eu poder publicar este artigo com o meu cartão do Global Entry em mãos.

Perdi as esperanças, contudo.

Embora ainda haja alguns que digam que há o envio do documento para o Brasil, não conheço ninguém que efetivamente tenha recebido.

Então, mesmo sem o meu cartão, vou contar um pouco de como tudo se sucedeu.

Mas antes, o que é o Global Entry?

Global Entry (GE) é um programa que, após análise do seu perfil, te pré-aprova para uma passagem expressa na imigração americana.

Ao desembarcar de um voo internacional nos EUA, não mais será necessário se dirigir às imensas filas de imigração, mas sim a uma seção especial onde existem alguns quiosques do GE. Lá você scanneia seu cartão do GE, que dentro dele já possui suas informações do passaporte e visto americano e te dá um recibo.

Apesar de a passagem ser expressa, você pode ser parado de forma aleatória para inspeção na aduana. Pois bem.

Com a notícia em fevereiro da entrada do Brasil no programa de passagem expressa, apliquei imediatamente. Aproveitei que o AMEX TPC americano subsidia essa aplicação e fui em frente.

 

Durante cerca de 3 meses, a minha situação ficou como “pendente” (pending).

Essa situação estava indefinida, acompanhada pelas sucessivas notícias colocando em dúvida se o programa iria mesmo vingar para os brasileiros ou não – Vide os artigos a seguir:

https://mestredasmilhas.com/global-entry-brasil-nao-esta-funcionando/

https://mestredasmilhas.com/global-entry-continua-fora-do-ar-para-brasileiros/

https://mestredasmilhas.com/agora-e-oficial-programa-global-entry-esta-em-suspenso-para-brasileiros/

https://mestredasmilhas.com/3-meses-depois-de-anunciado-global-entry-continua-em-suspenso-para-brasileiros/

Ocorre que, ao que parece, quem estava viajando para os EUA nos meses de abril e maio estava se tornando elegível a solicitar a entrevista de aplicação do Global Entry.

Por um acaso, estava eu, no dia 11/05, saindo de Vancouver, no Canadá, e indo para Portland, no Estado do Oregon. Um dia antes do meu voo, recebi uma notificação de mudança do meu status da aplicação.

Assim, logo que cheguei na imigração do aeroporto de Vancouver, e enquanto o oficial verificava meus documentos, informei que houve alteração no meus status do Global Entry e solicitei para verificar se se tratava da entrevista para o programa.

Por alguns momentos, percebi que ele ficou um pouco perdido, indo buscar informações com colegas.

Devidamente informado, retornou à cabine e disse que ali mesmo me entrevistaria.

Por primeiro, pediu a minha carteira de motorista. Em seguida, fez questionamentos comuns, como profissão, renda e frequência de viagens aos EUA.

Também perguntou os motivos de viajar com certa frequência, e estranhou o fato de eu ter ido recentemente ao Egito e à Tanzânia. Especificamente em relação a essas viagens ele fez perguntas mais específicas, mas nada que impedisse a fluidez da entrevista.

No geral, a entrevista foi muito tranquila, não durou mais de 10 minutos, e o restante foi apenas uma conversa sobre o Brasil e as suas peculiaridades enquanto ele preenchia os meus dados no sistema.

Quando terminou, ele me pediu o endereço para envio dos documentos do Global Entry, pelo que perguntei se seria enviado ao Brasil e ele me respondeu afirmativamente (embora eu acredito que o meu documento não vá chegar por aqui).

Dois dias depois, recebi um e-mail de mudança do meu status de solicitação, com a grata surpresa de que fui aprovado.

Ao mesmo tempo em que fico feliz de ter sido um dos poucos brasileiros aprovados no programa de entrada expressa nos Estados Unidos, sendo válido até 2026, é ruim saber que, para quem não aplicou ou não foi entrevistado a tempo, o Global Entry pode não funcionar mais para brasileiros.

E você, aplicou para o Global Entry e foi aprovado?