Um leitor assíduo do site, e passageiro frequente entrou em contato conosco sobre um caso de anti semitismo à bordo da cia aérea American Airlines. A situação que ele relatou realmente é preocupante, e sabemos que o serviço à bordo da AA é precário.

O leitor já foi por 4 anos EXECUTIVE PLATINUM, o nível mais alto do programa, e hoje é PLATINUM, mas nem por isso justifica a forma de como foi tratado à bordo, mesmo que nem fidelidade tivesse todos merecem respeito acima de tudo. Retransmito o relato feito pelo leitor:

Prezado Dr Eloy, gostaria de relatar sobre meu voo de retorno ao Brasil com AA onde eu e meu filho de 7 anos sofremos discriminação racial e religiosa.

Estes acontecimentos não foram fatos isolados nos EUA em especial, nas últimas semanas diversas COMUNIDADES judaicas foram alvos de ataques terroristas em diversas cidades americanas.

Terrível foi que não fui o único no voo que sofri com o ANTI SEMITISMO, em meu voo estava um casal de idosos que beiravam 90 anos em cadeiras de rodas que viajavam na 1ª classe e seus respectivos enfermeiros estavam na classe econômica, este senhor precisava de atendimento a cada 3 horas, e o enfermeiro foi impedido de prestar seus serviços pela chefe de cabine.

Em meu caso, meu filho de 7 anos estava na classe econômica e foi maltratado durante todo o voo e impossibilitado de vir me chamar pelas comissárias de bordo para auxiliá-lo na alimentação e diversas outras vezes.

Quando solicitei para rezar minha rezas matinais fui proibido de realizá-la, fato inédito em uma companhia aérea onde sou passageiro frequente, e de diversas aéreas nunca passei por tal constrangimento.

Ao solicitar a presença do capitão para prestar uma queixa fui advertido e recebi um relatório de comissário de voo com o conteúdo inexato da situação e questionei novamente como o comandante da aeronave assina um documento inexato, não em minha presença.

Sendo assim comuniquei as comissárias que faria uma queixa na PF sobre a situação a bordo e esta se confirmou.

Na delegacia da PF encontrei o casal que passou pelo mesmo constrangimento e o delegado de ofício já nos havia dito que a comissária chefe não dizia a verdade em seu depoimento.

Bem, estou profundamente triste com o acontecido e em pleno ano de 2020 os judeus serem discriminados pelo ódio e se passaram 80 anos que  no ano de 1940 fomos exterminados perante ao mundo 6 milhões de judeus.

Espero que AA saiba destas atitudes e tome providencias pois a nossa estaremos fazendo junto a federação israelita.

Para a situação ter tido o final na Polícia Federal é porque foi grave mesmo. O site deixa espaço para a American Airlines, caso a mesma queira se pronunciar sobre o caso, pois esse tipo de conduta por parte dos tripulantes é muito preocupante em pleno 2020.