O programa TudoAzul irá mudar mesmo como concede pontos, sua qualificação na categoria elite, e ainda irá restringir a emissão de passagens para mais de 20 pessoas diferentes. Antes da análise é preciso abrir um parenteses. 

Ontem, dia 12 de Outubro de 2018, aconteceu algo inusitado. A partir das 21h alguns leitores começaram a receber um email do TudoAzul fora dos padrões e com erros de grafia.

Ao tomar ciência do fato entramos em contato com o plantão da assessoria de imprensa da Azul, o qual não sabia da informação, e pediu tempo até hoje, dia 13 de Outubro para confirmar. Acabamos de receber a confirmação de que realmente o email é verdadeiro.

Mas uma situação que nos deixa muito feliz é que muitos leitores vieram até nós para esclarecer a autenticidade de uma comunicação oficial da Azul, ou seja, confiam muito na nossa credibilidade.

Não poderia deixar de agradecer a todos pela confiabilidade que vocês têm no site e afirmar que sempre antes de qualquer divulgação nós buscamos um lastro oficial, de forma a estar sempre passando a informação correta e autêntica.

Como o caso de ontem tomou proporções enormes e recebemos muitos emails, sem o lastro oficial, era necessário apontar a “suspeita” de que tal comunicação poderia não ser verdadeira em função dos diversos indícios identificados na comunicação. 

Como todos sabem, prints de email, e até mesmo emails quase perfeitos rondam vários grupos de whatsapp com informações diversas é preciso tomar o devido cuidado antes de divulgar algo, especialmente nesses tempos com verdadeiros tsunamis de Fake News.

Agora vamos as mudanças, como já havíamos informado anteriormente a forma de acúmulo passa a mudar a partir do dia 15 de Dezembro de 2018.

Foi incluída uma “Tarifa Imperdível” que independente do seu nível elite irá pontuar apenas 1 ponto por real, ou 1 ponto a cada 25 centavos de dólar aproximadamente.

Ainda não temos informação dessa tarifa imperdível, mas provavelmente será uma tarifa promocional sem franquia de bagagem, marcação de assento e algo mais.

Já a tarifa Azul economy e business devem permanecer com suas regras atuais e franquia de bagagem, porém tiveram seu acúmulo piorado também. No entanto a tarifa mais azul aumentou o acúmulo para todos, exceto que não tem categoria elite.

Podemos observar dessas mudanças que a intenção da empresa é claramente forçar que você adquira a tarifa mais azul, caso você queira bagagem, seleção de assento, e acumular mais pontos, logo acreditamos que podemos esperar um valor de tarifa mais alto nessa seleção específica.

Já com relação a categoria elite, a qualificação para Diamante não foi alterada, somente para o status Topázio e Safira. Vale destacar que atualmente existem formas fáceis de chegar ao Safira, seja por Clube ou Cartão de crédito, logo isso não deverá mudar muita coisa.

O que mais chamou a atenção foi justamente a cópia da Latam, em que o programa passará a partir do fim do ano, provavelmente somente a partir de 2019 a não permitir a emissão de passagens para mais de 20 CPFs diferentes.

Essa medida tem o objetivo claro de enfraquecer o comércio de milhas em grande escala, pois quem quiser vender alguns pontos poderá fazê-lo desde que faça para até 20 pessoas diferentes no ano.

Então estamos observando um movimento em 2018 de limitações de promoções de bônus, mais restrições às emissões de passagens prêmio, bem como um ajuste para dificultar o acúmulo de milhas e a chegada no nível elite. Quem poderia ter imaginado isso?

A partir daqui em diante acreditamos que os demais programas deverão seguir essas mesmas condições em breve, pois tudo caminha nessa direção, como alertamos no ano passado. E você? O que acha disso tudo?