A informação chega via Estadão com a dica do amigo Eduardo Sado. Não é novidade nenhuma de que isso iria acontecer, era apenas uma questão de tempo. Cabe ressaltar que a American Airlines passou recentemente por isso, e o que sustentou a cia aérea foi justamente ter na época o melhor programa de fidelidade do mundo.

Percebam como essas coisas fazem a diferença, se a Avianca estivesse com um programa de fidelidade forte e atrativo poderia passar por uma recuperação judicial de forma mais sólida e segura, e agora tudo passa a ser imprevisível.

Nosso cenário dos sonhos era que a United comprasse a Avianca e fundisse os dois programas de fidelidade passando a adotar o MileagePlus aqui também, mas isso é só uma utopia, o que não pode acontecer é a Avianca Brasil “morrer”, pois isso vai trazer um estrago ainda maior ao mercado nacional de aviação comercial concentrando ainda mais o mercado e diminuindo a competitividade.

Seria bom que o Congresso aprovasse logo a liberação de capital estrangeiro para investir no setor, pois isso só vai trazer mais emprego, mais concorrência e mais estabilidade para o setor. Para ler a reportagem completa do Estadão clique aqui.