Os drones saíram do âmbito militar e a cada dia mais e mais empresas começam a utilizar seus serviços, sobretudo as grandes coberturas televisivas, o cinema e a publicidade. Mas muito em breve, empresas vão começar a utilizá-los no dia a dia, como entregas de produtos de grandes lojas, como empresas de correios e até mesmo delivery de alimentos.

A Amazon já realizou algumas entregas, bem sucedida, na Inglaterra. A primeira durou apenas 13 minutos, mas a empresa ainda considera um tempo alto e continua a realizar testes. A empresa Flirtey recebeu autorização para delivery de remédios, nos Estados Unidos, e fez cerca de 24 entregas em 30 minutos. O sucesso da operação fez a empresa comemorar provocando a Amazon.

No interior de São Paulo, sob supervisão da Amazon, a padaria Pão-To-Go realizou alguns testes para a gigante norte-americana, entregando pães a seus clientes. Encomendas de até 3,5kg foram entregues num raio de 1 km de distância. O dono do estabelecimento afirma que o custo da operação é menor do que o tradicional motoboy. A empresa espera expandir o serviço para todas as franquias que possui no interior paulista.

A rede de pizzaria Domino’s, em parceria com a Starship Technologies realiza testes em Hamburgo e Amsterdã. A Universidade Virginia Tech também possui um programa teste, em conjunto com o Google e a Chipotle realizam entregas de burritos no campus e, finalmente, a cadeia de restaurantes japoneses YO! Sushi realizou algumas entregas na cidade de Londres, em 2011.

Não há sombra de dúvidas de que outras empresas de entrega irão desfrutar da tecnologia nos próximos anos. Mas, por enquanto, como ela ainda está no estágio inicial, a recomendação é que se continue a utilizar os serviços de delivery tradicionais quando fizerem o seu pedido de comida.