Ontem, infelizmente, ocorreu um trágico acidente na operação do novo Boeing MAX-8. Nós publicamos uma nota sobre o assunto e juntamente a decisão de não voar nesse tipo de equipamento que tem 2 variantes (8 e 9) até que haja maiores esclarecimentos.

Voar continua sendo seguro? Sim, continua. Você entende de mecânica da aviação? Nem um pouco. Então por que essa decisão? Porque embora desconheça sobre o assunto é sempre melhor prevenir do que remediar, e embora ainda seja muito seguro voar, é uma decisão pessoal de não utilizar a família MAX do modelo da Boeing em questão.

Recebemos alguma mensagens agressivas e alguns comentários que fomos obrigados a moderar pelo uso de linguagem de baixo calão em função dessa decisão de não voar no Max-8 e aconselhar os leitores deste site que façam o mesmo.

Realmente não sabemos de nada sobre o assunto, não sabemos qual foi a causa da queda nem desse avião da Ethiopian, quanto o da Lion Air, mas acreditamos não ser necessário ser um especialista no assunto para “enxergar” que exista algo de estranho nesses dois acidentes.

Podem ser causas completamente diferentes em situações diametralmente opostas, mas a possibilidade também dos eventos estarem correlacionados não é nula, logo, utilizando de extrema caução nós da Equipe do Mestre das Milhas decidimos não utilizar tal aeronave e recomendar que os leitores também o façam por uma abundância de caução. Não queremos aqui apontar dedos e dizer quem está certo ou errado ou ainda fazer propaganda negativa da empresa A ou B.

Só esperamos que quem esteja utilizando esse tipo de equipamento opere o mesmo com os mais altos padrões de segurança e não admita colocar em risco a segurança dos passageiros, por menor que esse risco seja, afinal o risco ideal é o risco zero.