COMPARTILHAR VIA

Chegamos a um patamar que os Pontos Turbinados hoje são uma excelente fonte de receita, só que para os bancos. Com o dólar do cartão ultrapassando 4 reais, os pontos turbinados não são nem um pouco atrativos para os consumidores, apenas para os bancos.

Já escrevemos a respeito disso no passado não recomendando a contratação desse “benefício” quando o dólar ultrapassou os 3,50 reais e agora recomendamos ainda mais, já que o dólar do cartão ultrapassou os 4 reais, que você não utilize isso.

Perceba que uma fatura de 10 mil reais com o dólar a 2 reais pode gerar 5, 7.5, ou 10 mil pontos a depender do tipo do seu cartão, e o valor da dobra custaria 400 reais (valor médio dos pontos turbinados é de 4% no mercado). 

Então observa que uma pessoa com um cartão “básico” deveria dispender 400 reais para receber o mesmo número de pontos daquela que tem um cartão “Black”, por isso às vezes a anuidade já compensa a depender do tipo de cartão.

Basicamente o portador do cartão “básico” estaria pagando 400 reais por 5 mil pontos extras, o que consideramos caro. Porém quem tem um cartão de taxa de 1 pra 2 como a maioria dos Blacks no mercado pagava os mesmos 400 reais para 10 mil pontos, o que ainda sim é caro, mas conjugando com promoções de bônus na transferência se tornaria vantajoso. Lembre-se que isso tudo era com o dólar próximo a 2 reais.

Atualmente uma pessoa que tem um cartão Black e faz a adesão ao sistema de pontos turbinados estará pagando 400 reais por nada mais do que míseros 5.000 pontos, ou seja, mesmo com uma promoção de 100% de bônus, o custo desse ponto sai a 4 centavos de real, um valor absurdamente caro considerando a promoção trazida em questão.

Apenas traçando um paralelo se você compra diretamente o ponto na Livelo (50% de desconto) ou no Sempre Presente do Itaú (35 Reais/milheiro), caso você utilize uma promoção de 100%, o custo final do ponto será de 1,75 centavos de real, menos de 50% do valor acima considerando a mesma promoção.

Temos recebido várias mensagens sms e emails dos bancos pedindo para divulgar o benefício dos pontos turbinados, só que esse benefício só vale para os bancos que pagam muito menos pontos pelo mesmo valor cobrado.

Existia uma exceção que era a do cartão AAdvantage pelo fato das milhas do programa da American serem valiosas demais, mas no nível do dólar atual o justo para haver um benefício digno ao consumidor deveria ser ao menos 2% da fatura e não 4% como costumam cobrar.

Logo, apesar da insistência dos bancos e cartões é nosso dever mostrar que tal ferramenta só vem a gerar mais receita para os bancos e prejuízos para quem contrata tal acelerador ou turbina de pontos. Portanto não se deixe levar por uma propaganda e diga não a essas ofertas até o momento que os bancos tomem vergonha na cara e façam uma oferta digna para você.

Mesmo considerando uma inflação alta, o valor dos pontos foi altamente desvalorizado no mercado brasileiro e cobrar 4% para conceder o dobro de pontos é uma piada de mau gosto com o consumidor.

Não deixe de avisar seus conhecidos e familiares para que os mesmos não caiam nesse “golpe” das instituições financeiras, que mesmo sendo as empresas que mais lucram nesse país não permitem que você tenha um benefício justo de verdade. Deixe nos comentários sua opinião a respeito e se você já contratou ou contrata algum acelerador que acredita valer a pena. 

COMPARTILHAR VIA
Eloy da Fonseca Neto é apaixonado por viagens, e utiliza dos programas de fidelidade para levar sua família ao máximo de lugares possível. Criou o Blog Mestre das Milhas ao notar a falta de informações sobre pontos e milhas no Brasil, com a intenção de auxiliar a todos para que possam realizar cada vez mais viagens, e sempre ao lado de seus entes queridos.