Ontem a noite publicamos que a Latam estava estudando solicitar a recuperação judicial, pois bem, agora saímos do cenário de possibilidade e entramos na realidade. A empresa entrou com pedido de recuperação judicial nos EUA nesta terça feira.

De acordo com o release da empresa, o qual você acessa clicando aqui, Argentina, Brasil e Paraguai não estão incluídos nos procedimentos do capítulo 11. Leia o trecho retirado do site oficial abaixo.

NÃO HAVERÁ IMPACTO NAS OPERAÇÕES DE CARGAS OU PASSAGEIROS, RESERVAS, VOUCHERS OU PONTOS DO PROGRAMA LATAM PASS

Em 26 de maio de 2020, o Grupo LATAM Airlines entrou com um pedido de reorganização sob a proteção do Capítulo 11 da lei dos Estados Unidos. Queremos que nossos públicos de interesse saibam que continuaremos operando conforme as restrições de viagem e a demanda permitirem, pagando nossos colaboradores, cumprindo obrigações em relação a benefícios e pagando fornecedores essenciais, além de respeitar os pontos LATAM Pass e as reservas de voos à medida que trabalhamos no processo de reorganização pelo Capítulo 11. Clique aqui para acessar um infográfico que explica como será esse processo.

O processo de reorganização financeira com base no Capítulo 11 oferece à LATAM uma oportunidade clara e estruturada de trabalhar com nossos credores e outras partes interessadas para reduzir nossa dívida e enfrentar os desafios comerciais que nós, como outros de nossa indústria, estamos enfrentando como grupo. Isso é muito diferente do conceito de falência em outros países e não se trata de uma liquidação.

Nosso grupo vem compartilhando sua jornada com os povos da América Latina, prosperando em tempos de crescimento e se unindo para superar os momentos de adversidade. A LATAM sairá desse processo mais bem posicionada para servir a América Latina.”

Já conhecemos essa história de que não haverá impactos, e realmente aqui nós torcemos para que não haja, mas foi dessa mesma forma que os pontos do amigo da Avianca se foram, sem aviso prévio nenhum.

Obviamente que a situação da Latam é diferente da antiga Avianca Brasil, porém, como sempre, por uma abundância de caução, a partir desse momento, não recomendamos mais a compra ou transferência de pontos para o Latam Pass, pelo menos até que exista uma “luz no fim do túnel” seja para a empresa ou para esse período de pandemia.

Agora é oficial, e assim como a empresa, também precisamos nos proteger. Esse tipo de situação é o exemplo claro de como devemos evitar a compra desenfreada de pontos para fazer um dinheiro, pois essa prática vem sendo divulgada como uma fonte de renda extra por diversos cursos de milhas pela internet te incentivando a comprar uma soma de pontos agora e vender depois. Primeiramente existe uma restrição para isso, segundo, seus pontos ficarão travados em função do momento, e terceiro, se a empresa sobreviver, o valor dos pontos poderá não ser o mesmo, até por causa dessa reestruturação.

Então a hora é de cautela, e evitar a todo custo comprar, transferir ou produzir gastos com clubes de pontos do programa Latam Pass, com o objetivo de evitar ou mitigar um prejuízo lá na frente. Lembramos que fizemos esse mesmo aviso de caução para o programa Amigo, e mesmo assim muita gente viu seus pontos virarem pós e ainda teve empresa que teve perdas MILIONÁRIAS acreditando que isso seria uma oportunidade compra para fazer dinheiro lá na frente.

Logo é preciso tomar muito cuidado com incentivos de “fabricar” pontos nesse momento com a certeza de lucro futuro. Nós sabemos que esse período irá passar, isso sim é uma questão de tempo, mas ninguém sabe quais empresas irão sobreviver, pois nesse cenário específico já existem outras variáveis que são incontroláveis e podem acabar afetando você. Diga para nós, agora que é oficial, quais são os seus planos com relação aos seus pontos Latam Pass?