Ontem, conforme noticiado aqui, o TudoAzul e Le Club Accor divulgaram uma parceria, e desde então já começaram a surgir diversas perguntas, e obviamente a mais frequente é “Qual o melhor uso desses pontos?”.

Pois bem, embora o Le Club Accor tenha parcerias com diversas aéreas, NÃO consideramos bom transferir pontos para essas parceiras, pois você pode perder muito o valor desses pontos que acabaram de ser maximizados por essa parceria do TudoAzul.

Vamos aos detalhes:

1 – O Le Club Accor sofrerá mudanças em breve para um novo programa chamado “ALL” e essas taxas de troca poderão sofrer mudanças;

2 – A transferências do TudoAzul poderão sofrer “travas inesperadas”;

3 – Alguns resgates de oportunidade podem exigir “reposicionamento” encarecendo o uso dos pontos; e

4 – O valor dos pontos do Le Club serão sempre mais valiosos para uso na própria rede.

Assim como os demais programas, o valor das milhas e pontos são sempre mais valiosos em seus programas, obviamente que existem algumas exceções, mas de forma geral todos seguem esse padrão.

Nunca é bom utilizar pontos hertz para emitir uma passagem de avião, ou utilizar milhas de um programa de fidelidade para realizar uma locação de carro, embora existam pessoas que teimam em fazer essa recomendação bizarra.

Os pontos sempre terão o seu maior valor dentro do seu próprio programa, como por exemplo, utilizar os pontos da HERTZ (7500 pontos) para 1 semana de aluguel de uma Land Rover conforme mostramos no Instagram, sendo que no caso em questão ainda pegamos o resgate reduzido em função de uma promoção da Hertz.

Agora se os mesmos 7.500 fossem utilizados para emitir uma passagem aérea conseguiríamos apenas uma passagem doméstica dentro do Brasil caso houvesse disponibilidade. 

Veja você que a Avis cobra 12 mil milhas da American Airlines para uma diária de 1 carro superior, o que daria cerca de 84 mil milhas em 1 semana, que equivale muito mais do que uma classe econômica Saaver.

O mesmo vale para os programas de Hotel, pois se você transfere 100 mil pontos do IHG para qualquer cia aérea, você receberá no máximo 20 mil milhas, que atualmente nem para uma econômica promocional serve, porém com 100 mil pontos é possível se hospedar durante 40 dias em conjunto com a Points Break do IHG ou 2 dias em um hotel de alto luxo como o Intercontinental de Marseille ou Cingaura.

É claro que existem exceções para toda regra, mas nesse caso é preciso calcular o custo de “fechamento” daquela oportunidade, como por exemplo emitir uma primeira classe da Cathay num trecho da Ásia para a Europa com milhas da Qantas que vieram do Le Club. É um valor razoável para uma tarifa de primeira classe com um serviço espetacular da Cathay, mas será preciso chegar na Ásia/Europa e fazer o retorno.

Claro que tudo deve ser precisamente calculado de forma que você não acabe gastando mais do que “ganhe” num resgate de oportunidade. A recomendação é sempre utilizar os pontos do programa para o seu próprio programa, o que não é o caso do TudoAzul que nesse momento está permitindo uma transferência fantástica para o Le Club e com isso você consegue maximizar seus pontos utilizando os pontos do Le Club para o próprio Le Club.

Então é preciso sempre olhar todos os aspectos da viagem para que você não caia numa armadilha e acabe por subvalorizar seus pontos, que acabaram de se valorizar em função de uma promoção temporal com relação a uma nova parceria, sendo então a melhor forma de maximizar os seus pontos TudoAzul original nessa nova parceria mantendo mesmo no Le Club para utilizar em desconto nos hotéis com os vouchers, especialmente agora em períodos de dólar e euro com valores elevados. E você? O que acha? Concorda ou discorda? Acredita que pode ser melhor utilizar os pontos em programas diferentes? Deixe seu exemplo abaixo.