COMPARTILHAR VIA

A reportagem do Estadão divulgada hoje já não deixa mais dúvidas, os valores das passagens aéreas subiu sim, e muito mais do que nem era esperado. A matéria divulga relatório em que o FGV mostra que as passagens subiram cerca de 35,9%, enquanto que o IBGE diz que subiram apenas 16,9%.

A reportagem ainda tenta colocar panos quentes no fato de dois institutos terem uma alta divergência em seus números, porém uma coisa é inegável, as passagens que supostamente deveriam ficar mais baratas não só aumentaram de valor, como agora você ainda deve pagar pela bagagem.

Infelizmente aconteceu justamente aquilo que todos previam, que a resolução da ANAC não iria funcionar, muito pelo contrário, que iria beneficiar sim as cias aéreas. É triste ver isso acontecendo, pois assim como o caso da internet pela ANATEL, fica cadas vez mais claro que as agências reguladoras estão aí para regular o consumidor e não as empresas.

O artigo também menciona alguns países que obrigam as cias aéreas a transportas bagagem de forma gratuita, pois bem, esqueceu de alguns como Austrália, Cingapura, Tailândia, China, e Ucrânia. Cabe ressaltar inclusive que as cias aéreas low cost Tailandesas são uma referência para o mundo como você pode conferir clicando aqui.

A ANAC se comprometeu a rever a resolução caso a promessa das aéreas em baixar o valor da passagem aérea não se cumprisse, e parece já haver evidências por demais a ponto de haver alguma pressão no setor. E agora? Você acha que irá acontecer algo? Ou ficará tudo do jeito que está?


COMPARTILHAR VIA
Eloy da Fonseca Neto é Advogado, Blogueiro, e Consultor de Viagens. Tem um volume de viagens em torno de 500 mil milhas por ano, e após ter viajado por mais de 50 países divulga no Blog Mestre das Milhas a arte e o potencial de maximizar os ganhos com os diferentes programas de Fidelidade. É conhecido internacionalmente como  Líder em assuntos estratégicos sobre programas de milhagem! Já figurou em diversas reportagens na mídia brasileira e americana. Entre em contato através do email [email protected]