COMPARTILHAR VIA

Quem me acompanha nas redes sociais viu que na última viagem eu renovei minha carteira de motorista dos EUA, e choveu um monte de pedidos para saber como faz para conseguir esse documento.

Antes de falar qualquer coisa é importante ressaltar que só existe um requisito para quem gostaria de tirar essa carteira, que é o endereço americano, e não necessita ser comprovado com papel, desde que você leve alguém para declarar que você está como hóspede na casa, ou seja, basta que seu familiar, amigo ou colega vá ao DMV (Detran dos EUA) com você e diga que você está com ele (a) no endereço especificado.

O procedimento é muito parecido em todos os Estados, com exceção do Estado do Washington, que é o mais fácil, pois não exige comprovante de “Legal Presence”.

Em todos os Estados Norte-Americanos você deve proceder ao DMV do Estado em que pretende tirar a carteira, de preferência aquele em que você consegue indicar um endereço físico.

Cada Estado tem os seus procedimentos, mas basicamente você deve pagar uma taxa que varia de 25 a 35 dólares e realizar um teste de visão no próprio DMV, e em seguida fazer um teste de conhecimento com 25 questões igual no Brasil. Para ser aprovado é necessário acertar de 18 a 20 questões a depender do Estado, porém a prova é muito fácil, muito mais fácil do que a do Brasil.

Esse teste é feito num computador de toque no próprio DMV no mesmo dia que você aplica para a carteira, e em seguida você pode agendar o teste prático ou ainda pagar um agente autorizado para fazer o teste com você no mesmo dia.

No meu caso específico como a fila do agendamento estava grande paguei 25 dólares para fazer um agente autorizado. O Teste prático também é bem simples e somente quem comete 3 erros básicos é reprovado, que são:

 – Não parar na placa de “STOP”. Você deve parar, olhar para ambos os lados e contar mentalmente até 5 antes de prosseguir;

 – Deixar de dar as setas; e

 – Olhar para os lados e fazer notar isso para o instrutor toda vez que trocar de faixa ou virar com o carro.

A prova prática inicia com 100 de pontuação, e você precisar terminar com no mínimo 70 para passar. Não tem baliza como no Brasil, e o instrutor não manda você fazer pegadinhas para fazer algo errado propositalmente.

A minha prova prática foi bem simples, a instrutora entrou no carro e pediu que eu levasse ela na Cold Stone para tomar um sorvete, e assim que ela terminou levei ela de volta para o DMV. Terminei com 85, porque ela tirou 15 pontos em um momento que troquei de faixa e não olhei para o lado. Na verdade eu olhei, mas não basta olhar de rabo de olho, tem de girar a cabeça para mostrar ao instrutor que você está verificando que a faixa está liberada.

Com a folha de Check da prova prática você retorna ao DMV tira uma foto e recebe uma carteira interina naquele momento de validade de 1 mês, pois a carteira definitiva chega no endereço que você indicou em até 2 semanas, e tem validade até o carimbo de autorização da sua permanência legal nos EUA, ou seja, 6 meses.

Após sua carteira de motorista vencer, você tem até 2 anos para renovar sem a necessidade de realizar todos os testes novamente. Caso você aplique no Estado do Washington, terá validade de 6 anos, pois o Estado não tem o requisito do “Legal Presence”.

A carteira de motorista dos EUA é muito interessante, pois serve como um documento de identidade aceito por todo e qualquer estabelecimento, e com ela não existe a necessidade de comprovação de endereço para abertura de contas e outros, pois o endereço vem escrito no documento.

O Leitor Daniel Gadelha acabou de tirar a sua carteira de motorista no Estado da Carolina do Norte, e o fez seguindo todos esses procedimentos, e é um exemplo de como não é difícil conseguir isso. Você já pensou ou pensa em aplicar para uma carteira de motorista nos EUA como fez o Daniel?

 

COMPARTILHAR VIA
Eloy da Fonseca Neto é apaixonado por viagens, e utiliza dos programas de fidelidade para levar sua família ao máximo de lugares possível. Criou o Blog Mestre das Milhas ao notar a falta de informações sobre pontos e milhas no Brasil, com a intenção de auxiliar a todos para que possam realizar cada vez mais viagens, e sempre ao lado de seus entes queridos.