COMPARTILHAR VIA

Os programas de fidelidade chegaram a um ponto de inflexão que muitos estão tendo seus contratos de com os cartões de crédito renegociados, e isso se deve única e exclusivamente a disponibilidade.

Vocês devem ter percebido que ultimamente tem saído bastante promoção de multiplicadores de cartão de crédito, como Multiplus, Santander, Amex Livelo, e pode vir mais por aí. Mas por que os cartões de créditos estão dando mais pontos?

Porque o cliente não tem conseguido fazer nada com esses pontos, por exemplo o cartão de crédito Smiles Visa Infinite com bônus inicial de 40 mil pontos Smiles não dá nem para uma ida e volta no Brasil em alta temporada, que chega a 50 mil pontos, e com isso é preciso dar mais pontos para atrair clientes.

Só que o cliente não é burro, e percebe isso, como percebeu nosso leitor Henry, que deu a ideia desse post. Brilhante como é Henry percebeu que o cashback pode ter um valor maior que pontos, e não foi somente ele que vislumbrou isso, os americanos também.

Vejamos um exemplo se você tem um gasto de 10 mil reais por mês e consegue colocar tudo isso no cartão, ao final de 1 ano terá 120 mil reais de gasto, o que equivale a 35 mil dólares se considerarmos um dólar médio do cartão R$ 3,40. Esses 35 mil dólares equivalem em um cartão Black a 70 mil pontos.

Agora vamos pegar esses 70 mil pontos numa promoção de 100% com Smiles, e o valor fica 140 mil pontos smiles. E daí fica a pergunta: O que você consegue fazer com 140 mil pontos Smiles? Com muita sorte consegue uma ida e volta em classe executiva para os EUA, o que em períodos promocionais é possível conseguir pagar uma passagem dessa por valores entre 4 e 6 mil reais.

Agora vamos implantar o sistema de cashback, que via de regras é algo na casa de 4%, o que daria 4.800 Reais considerando o exemplo acima. Então o que você prefere 70 mil pontos do cartão de forma genérica ou 4.800 Reais? Eu certamente iria preferir o valor, e os americanos já viram isso, e hoje está surgindo cada vez mais cartões de Cashback no mercado.

Um bom cartão de cashback, com anuidade, e períodos promocionais chega a dar de volta quase 8% do gasto, em certas ocasiões, e o crédito é livre, sem amarrações, e com 100% de disponibilidade. Espanta saber que nenhuma operadora de cartão de crédito ousou lançar um cartão de cashback no mercado brasileiro ainda.

Obviamente que existem casos e casos, e certos casos 70 mil pontos podem valer muito mais do que 4.800 reais, caso você consiga uma boa promoção de transferência, e ainda disponibilidade para a data desejada, e saiba que isso não é a regra.

Foi com base nessa dica do Henry, que descobri que os cartões da Porto Seguro oferecem cashback, porém não na proporção acima, pois o cartão não é um cartão de cashback em si, mas dá a oportunidade de trocar por exemplo 52 mil pontos por um crédito no cartão de 1.200 Reais, o que considero bom, pois fica numa faixa de 1,5% para a linha Black e Infinite. Obviamente que poderia ser melhor, mas acredito que eles precificam o cashback dessa forma, justamente levando em conta as promoções que ocorrem em dobro, e nesse caso o gasto deles passariam para 3%.

Nos Estados Unidos além do cashback generoso ainda veem o bônus de contratação do cartão, geralmente na faixa de 200 dólares após gastar 1 mil dólares nos 3 primeiros meses. o Travel Rewards do Bank of America não deixa de ser um cartão de cashback, pois os pontos acumulados são convertidos em dinheiro para gerar desconto na fatura, sem a possibilidade de transferir para parceiros aéreos, e esse é o cartão mais fácil de um brasileiro se social security conseguir, e a taxa dele é de 1,75% se você tiver conta corrente e poupança no BofA, e se você tiver acima de 100 mil dólares na poupança, esse valor dobra, e vai para 3,5%.

Ainda existem os cartões específicos que dão certa porcentagem em itens específicos, por exemplo o 321 do Bofa, que dá 3% de volta na Gasolina, 2% nos supermercados, e 1% no resto. E os americanos aproveitam, acabam comprando gift card nos supermercados para ir na loja e gastar o gift card assim ganhando 2% de volta, e não os 1% regular.

Resolvemos escrever sobre casback hoje para mostrar que como tem sido quase impossível resgatar pontos por valores justos nos diferentes programas de fidelidade, um cartão de cashback no Brasil talvez seria muito mais interessante do que o atual sistema de pontos.

E ainda existe o risco de a ABEMF se manifestar contrária a tal prática com cartões, pois isso poderia certamente diminuir o número de pontos transferidos dos bancos para os programas de fidelidade. Agradecemos ao nosso leitor brilhante Henry pelo comentário que estimulou a escrever esse post.

E o que você acha? Prefere Cashback ou Pontos? O seu cartão troca pontos por crédito na fatura igual a Porto Seguro, se sim, quanto é o valor da conversão? Deixe nos comentários para termos uma ideia, e analisar se vale a pena um crédito na fatura ou conversão para pontos.

 

COMPARTILHAR VIA
Eloy da Fonseca Neto é apaixonado por viagens, e utiliza dos programas de fidelidade para levar sua família ao máximo de lugares possível. Criou o Blog Mestre das Milhas ao notar a falta de informações sobre pontos e milhas no Brasil, com a intenção de auxiliar a todos para que possam realizar cada vez mais viagens, e sempre ao lado de seus entes queridos.